18 março 2013

FUNDAÇAO DE ESPERANTINA, POR FRANCISCO TEODOMIRO DE CARVALHO NETO





Esperantina, faz parte da região da Região Norte do Piauí. Fica numa região pouco acidentada, outrora chamada de Retiro da Boa Esperança, um lugar que OS poetas dizem: Olhe o tiro, moça bonita.
É do retiro
Bonitinha todas elas são
Tem a boquinha de um coração.

O fundador de Esperantina, foi o Capitão-Mor Antonio Carvalho de Almeida( o Coronel Toinho de Barras, Piauí), contam os Populares, que o mesmo percorreu a margem esquerda do Rio Longá procurando um local ideal para instalar uma fazenda de gado e um sítio. Encontrando esse Eldorado localizou a fazenda e sítio, entrando com a ajuda de trabalhadores de Barras que fizeram morada ali, hoje perto da ponte sobre o Rio Longá. Contou com a colaboração dos Carvalhos de Almeidas e seus Parentes.
De povoado passou a Vila do Retiro. Alguns anos mais tarde veio de Barras um outro parente de Toinho de Barras, veio o Miguel Carvalho e Silva, que situou-se ás margens do Rio Longá com dois Sítios e Fazenda de gado , ambos tinham sesmarias de terras desde o Campo Largo até São João do Arraial, hoje cidades. Naquele tempo o Piauí, era anexado ao governo do Maranhão, os dois requereram títulos das sesmarias e o referido governador concedeu-lhes, isso no ano de 1739, em plena escravatura. O Retiro começou a atrair outros fazendeiros da região, pelas suas boas pastagens. Francisco Xavier Moreira, iniciou construção de uma capela a qual foi construída por Domingos Moreira de Carvalho, no ano de 1859, Leonardo das Dores que era inventor e escritor trás de Portugal para a capela a imagem de Nossa Senhora Da Boa Esperança.
No ano de 1920, por Decreto-lei do Governador Eurípedes de Aguiar emancipou de Barras, o retiro da Boa Esperança e nesse mesmo ano passou a chamar de Boa Esperança, houve grande festa . O Juiz de Paz, Francisco Xavier Moreira de Carvalho, foi quem passou o cargo ao Juiz Togado, Nilo de Morais Brito.
E já no ano de 1938, o Governador Leônidas de Castro Melo, através do Decreto - lei n° 147, tornou – o oficialmente instalado justamente no dia 1° de Janeiro, ‘’ como cidade’’, com todos os dados oficiais, como nome de Esperantina. Em 1939, outro Decreto –Lei saiu considerando o nome de Esperantina uma justa homenagem á padroeira, Nossa Senhora da Boa Esperança, atendendo ao Reverendíssimo Dom Severino Vieira de Melo, Arcebispo do Piauí.



Nenhum comentário:

Postar um comentário