25 junho 2012

I FORUM MUNICIPAL CULTURAL E ESPORTIVO DE ESPERANTINA Tema: “A Cultura e o Esporte que queremos” 06 e 07 de fevereiro de 2009


I FORUM MUNICIPAL CULTURAL E ESPORTIVO DE ESPERANTINA
Tema: “A Cultura e o Esporte que queremos”
06 e 07 de fevereiro de 2009

RELATÓRIO



A Prefeitura Municipal de Esperantina, através da Secretaria de Cultura Turismo Desportos e Lazer, vendo que o município de Esperantina é um espaço privilegiado da ação político-cultural, onde os atores sociais agem, as demandas se expressam de maneira mais visível e as políticas podem atingir mais diretamente a população, observou a necessidade de se realizar, nos dias 06 e 07 de fevereiro de 2009, o I Fórum Municipal Cultural e Esportivo de Esperantina com o tema “A Cultura e o Esporte que queremos”, reunindo a sociedade local e outras instâncias do governo (estadual e municipal), para intervir, articular e trocar experiências, buscando construir alternativas para as políticas culturais e esportivas do município.
O fórum aconteceu no Ginásio Poliesportivo Municipal, com reserva de espaço para todos os setores que promovem a cultura e o esporte, e que em parte, são excluídos das políticas públicas, com o objetivo de constituir uma rede formada por gestores e/ou administradores da cultura e do esporte, técnicos, agentes, produtores e criadores culturais e esportivos, movimentos sociais, grupos artísticos locais, grupos de jovens, estudantes, desportistas das mais diversas modalidades, ONGs, etc., além de estimular o debate e a prática cultural e esportiva, propondo políticas urgentes para ampliar e democratizar a ação do governo municipal, estimular relações de parceria e ações conjuntas entre governo municipal e sociedade civil, a fim de construir a esfera pública da cultura e do esporte no município de Esperantina.
A abertura dos trabalhos aconteceu às nove horas da manhã do dia 06 de fevereiro, com a composição da mesa de honra, a palavra do prefeito e demais autoridades e a exposição da situação cultural e esportiva de Esperantina, feita por representantes de cada segmento.
Após as falações, ouviu-se a palestra proferida pelo professor e escritor Valdemir Miranda, com o tema “A cultura histórica de Esperantina”, na qual solicitou o resgate da história de Leonardo das Dores e a criação da Lei de Contenção do Patrimônio Histórico Municipal. Em seguida o senhor Vicente Sobrinho – Presidente da Fundação dos Esportes do Estado do Piauí falou sobre “O Esporte como meio de Inclusão Social”, incentivando o apoio, tanto da administração pública como da iniciativa privada para o desenvolvimento da prática esportiva.
No turno da tarde, dividiram-se os participantes em grupos, para que, analisando a realidade de Esperantina no que se refere a Cultura e o Esporte, identificassem as potencialidades culturais e esportivas do município, cujo resultado encontra-se no anexo I deste relatório. Encerraram-se as atividades deste dia, com exibição de filme no Cine Móvel Cultural – Cinema ao Público.
No segundo dia ouviu-se o radialista e escritor Elias Medeiros Júnior falando da “Memória histórica de Esperantina”, contando sua história da fundação aos nossos dias e finalizou pedindo a valorização dos escritores esperantinenses e a implantação de um Plano de Proteção ao Rio Longá.
Em seguida ouviu-se a Presidente da Fundação Cultural do Estado do Piauí – Sonia Terra, falando da “Cultura como meio de Inclusão Social” a qual falou que o governo precisa descentralizar as políticas na área da Cultura, pois aquilo que temos e não valorizamos pode mudar a vida de toda uma comunidade (se vista através de uma política pública eficiente), portanto democratização e diversificação é a saída para a evolução cultural de Esperantina.
Dando continuidade, falou sobre “Ação Cultural – Planejamento Estratégico”, o Diretor de Ações Estratégicas da FUNDAC – Chagas Vale, citando a política cultural como um programa de intervenções realizadas pelo Estado, instituições civis, estudantis, privadas ou grupos comunitários e idealizando a  criação de procedimentos para que os artistas da terra prosperem aqui. Foi dito ainda que, a democratização cultural cria condições para que um número maior de pessoas tenha acesso a um número cada vez maior de obras de arte.
Finalizando as falações, o Jornalista Esportivo Dídimo de Castro falou da “Importância do apoio do setor privado e do poder público para o desenvolvimento do Esporte”, dizendo que em Esperantina, se todos fizerem o que está em suas posses, o esporte terá um avanço considerável e que a grande deficiência em Esperantina é a falta de um estádio de futebol.
Em suas considerações finais, o Prefeito Francisco Antonio disse que: ninguém vive sem identidade cultural e que vai implantar o Museu e o Arquivo Público, revitalizar a Banda Municipal e valorizar o Patrimônio Natural.
No turno da tarde dividiram-se novamente os participantes em grupos para construírem propostas para que a Cultura e o Esporte avancem e se tornem referência no desenvolvimento local e regional, com apresentação em plenária dando abertura para a intervenção dos participantes,  cujo resultado consta no anexo II.
O fórum contou com a participação aproximada de 250 pessoas, conforme lista de freqüência anexa, além daquelas que deixaram de assinar por um motivo qualquer. Encerrando-se às dezoito horas do dia 07, com demonstrações de Supino (modalidade de esporte que consiste em levantamento de peso) e Karatê (arte marcial que trabalha a defesa pessoal), seguidas da exibição de filme no Cine Móvel Cultural – Cinema ao Público.
Diante do exposto, pode-se considerar que o evento alcançou a expectativa do público e de seus organizadores.

Esperantina, 12 de fevereiro de 2009.







I FORUM MUNICIPAL CULTURAL E ESPORTIVO DE ESPERANTINA
Tema: “A Cultura e o Esporte que queremos”
06 e 07 de fevereiro de 2009
ANEXO II

Propostas para que a Cultura e o Esporte avancem e se tornem referências no desenvolvimento local e regional.
Na área da Cultura foram levantadas as seguintes propostas:
ü  Criação de feiras culturais nos bairros com a finalidade de incentivar a comercialização de produtos artesanais e comidas típicas e a divulgação dos artistas locais (bandas, músicos e vocalistas);
ü  Apoio aos grupos de umbanda;
ü  Promover festival de incentivo às riquezas dos cocais;
ü  Firmar parceria com as igrejas para incentivar o turismo religioso;
ü  Fundação de um Centro de Cultura;
ü  Implantação de Museu com sede própria;
ü  Incentivo à comemoração do dia da Consciência negra (Quilombolas);
ü  Restauração da casa grande da Fazenda Olho D’água dos Negros;
ü  Capacitação de profissionais de bares, restaurantes e hotéis para recepção de turistas;
ü  Criação de um Centro Artesanal público permanente para exposição, venda e realização de oficinas e cursos;
ü  Promover oficinas de pintura, escultura em madeira, argila, etc.;
ü  Cursos de bordado, corte e costura crochê, manicure, cabeleireiro e maquiagem;
ü  Aquisição de estandes para que os artesãos exponham seus produtos em outros municípios;
ü  Incentivar os grupos folclóricos;
ü  Incentivar o festival junino na zona urbana e rural;
ü  Incentivar as danças folclóricas;
ü  Apoiar os festivais juninos independentes;
ü  Construção de um espaço cultural para realização de eventos;
ü  Inclusão de grupos da melhor idade nos festivais juninos
ü  Resgatar o carnaval de Rua de Esperantina;
ü  Decorar a cidade com temas carnavalescos;
ü  Colocar a Banda Municipal executando as marchinhas de carnaval nas ruas;
ü  Incentivar a criação de blocos carnavalescos de rua;
ü  Criação de um bloco de carnaval para a melhor idade;
ü  Promover cursos e oficinas de dança afro, tranças afro, capoeira de quilombo, vestes, babaçu e carnaúba nas comunidades quilombolas;
ü  Comemorar o aniversário da cidade em 28 de setembro;
ü  Realização da Semana Cultural de Esperantina, reunindo as manifestações artísticas culturais do município;
ü  Disponibilizar barracas padronizadas durante o período dos festejos;
ü  Organizar um Festival de Música para valorização de músicos e compositores locais;
ü  Criação de um estúdio de música aberto à comunidade para artistas locais realizarem ensaios e gravações;
ü  Criação da Escola de Música, com aulas de instrumentos, canto e coral;
ü  Comemorar o dia do cigano com resgate de sua cultura;
ü  Restaurar o cemitério dos ciganos e ciganinhos.

Na área do Esporte foram levantadas as seguintes propostas:

ü  Promover eventos esportivos em comemoração ao dia do trabalho (1º de maio);
ü  Construção e melhoria de campos de futebol nas comunidades: Boa Vista dos Cariocas, Sítio do Alegre, Lagoa Seca, Vassouras, Bonfim, Baixinha, Alegrias, Açudinho, Pedrinhas, Chapada da Limpeza, Olho d’Água dos Negros, Tapuio, Boi Velho, Lagoa dos Macacos, Barro, Limpeza, Buriti dos Britos, Lagoa da Caiçara, Canto da Palmeira, Tinguís, Capim Grosso, Malhada do Meio, Olho d’Água das Palmeiras, Patís, Jacaré da Vermelha, Cabeceira da Várzea, Mundo Novo dos Amorins, Cajazeiras, Angelim, Taboquinha, Alame, Curralinhos e Capitão de Campos.
ü  Construção e melhoria nos campos da zona urbana, nos bairros: Bezerrão, Santa Luzia, Palestina, Bairro Rural, Nova Esperança, Cohebe, Mão Santa.
ü  Construção de quadras de esportes nas localidades: Canto da Palmeira, Mocós, Jacaré da Vermelha, Mundo Novo dos Amorins, Lagoa Seca, Sítio do Alegre, Lagoa dos Macacos, Chapada da Limpeza, Olho d’Água dos negros, Barro, Alame, Bonfim, Cajazeiras e Vassouras;
ü  Construção do Estádio Municipal de Futebol, em Esperantina;
ü  Construção de quadra de esportes nos bairros: Rural, Palestina, Mão Santa, Vila da Paz, Morro da Chapadinha, Santa Luzia e Pedreira;
ü  Criação de uma academia equipada para treinos de Karatê, capoeira e modalidades afins;
ü  Implantação do Karatê como disciplina de Educação Física nas escolas;
ü  Apoio e incentivo financeiro nos exames de faixa, batizados e competições que envolvam estas modalidades;
ü  Criação de uma escolinha de Karatê no bairro Rural e povoado Lagoa Seca;
ü  Melhoria e adaptação dos ginásios para a prática das modalidades: Futsal, Handebol, Vôlei e Basquete, com incentivo para as mesmas;
ü  Promover torneio de Vôlei, Futsal e Futebol de Campo (masculino e feminino);
ü  Reformar o campo de Futebol Society e a quadra de Vôlei da Cachoeira do Urubu, promovendo eventos no local;
ü  Promover torneio de vôlei masculino e feminino nas zonas urbana e rural;
ü  Incentivar a Seleção Esperantinense de Futebol a participar de campeonatos estaduais;
ü  Apoio às competições: 1ª e 2ª Divisão (Campeonato promovido pela liga), Copa Santa Luzia (em Esperantina), Copa João José de Oliveira (Canto da Palmeira), Copa João Marques de Oliveira (Barro), Copa Joaquim Pires (Cajazeiras), Torneio do Bode e do Boi (Lagoa Seca), Torneio de Bairros (Vassouras);
ü  Promover o Copão Rural no município de Esperantina;
ü  Promover Competições esportivas femininas no município de Esperantina;
ü  Apoio a torneios de Futebol Society;
ü  Apoio para competições esportivas: Copa Norte e Sabão Retiro;
ü  Promover competições de atletismo, ciclismo e natação no município;
ü  Apoio à mini-maratona;
ü  Apoio ao campeonato de futebol de inverno;
ü  Criar um centro de treinamento olímpico no Município;
ü  Implantar escolinha de futebol e futsal masculino e feminino no município;
ü  Promover cursos de capacitação para árbitros nas modalidades futebol, voleibol, basquete e futsal;
ü  Promover campeonato de futsal de bairros no ginásio poliesportivo
ü  Apoio à realização de competições regionais e nacionais nas mais diversas modalidades em Esperantina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário