20 dezembro 2011

Seu Chaga quer ser reconhecido como descendente de Japonês


Seu Chaga quer ser reconhecido como descendente de Japonês

Seu Chaga tenta viver,como vivem os Japoneses
             
Francisco das Chagas Sousa, conhecido como Chaga, tem 47 anos de idade nasceu em viçosa ceará. Casado pai de sete filhos, lavrador e atualmente mora na comunidade Limpeza onde desempenha a função de Presidente da Associação de Pequenos Produtores daquela localidade. Também desenvolve atualmente o projeto social ‘’FORA DA ESCOLA’’  que tem o objetivo de desenvolver o esporte, lazer, dança e palestras informativas para 32 garotos, é um projeto cultural que precisa de Violão, bolas de Futebol, oficinas de danças, Flautas e material para fazer artesanatos. Hoje o projeto vive de doações por partes dos amigos.
Seu Francisco saiu do ceará ainda criança para morar em Buriti dos Lopes, morou pouco tempo e depois veio para Barroca da Maria Miguel Município de Esperantina. Morou até 0s 23 anos de idade entre Esperantina e Barroca, Cedo precisou viajar para trabalhar, passou uma temporada no Maranhão, foi policial florestal por quase dois anos no Pará, ofício que aprendeu sobre a natureza e que hoje tem a preocupação de defender a Mãe Terra. E em 93 foi morar em Brasília, morou 14 anos no DF, onde trabalhou na profissão de Garçom e Pedreiro chegou a largar  o serviço de garçom, para trabalhar numa empresa rural de Japonês, isto para ter contato com os Japoneses. Retornou em Maio de 2008 para  a querida cidade de Esperantina  onde considera sua terra natal, onde vive e viverás para sempre.
 Seu Chaga ultimamente anda  meio desestimulado por falta de apoio do poder Público.
Já reivindicou  muitos projetos  para associação, mais ainda não foi possível. Seu Chaga como é bastante conhecido nos fala a essa reportagem que tem um sonho a realizar nessa vida. Tem o sonho de ser reconhecido como descedentes de Japonês,  a mãe de seu chaga era neta de Japonês só que não tiveram a preocupação de preservar o sobre nome, A certeza é que a avó do seu chaga era Japonesa e se chamava Maria Gonzaga Mota shimoto, morava no Camocim Ceará. A sua vocação de ser reconhecido como Japonês começou fortemente quando ao ver na TV matéria sobre arte Marciais e toda a cultura inclusive a religião Budista, ficou fascinado pela cultura a tal ponto de viajar para o sul do Piauí para assistir uma palestra da cultura Japonesa. Assim vive seu Chaga em um casa muito simples na localidade Limpeza, aguardando pelos os Japonese para ser reconhecido. Tudo le faz pensar sobre a cultura Japonesa, e   alem de querer ser reconhecido como Japonês ele já vive como os Japoneses vivem. E se diz ser muito feliz  vivendo assim, só que ainda falta realizar o sonho de ser reconhecido como  Descedente Japonês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário