11 julho 2011

Aprenda a Ser um Agente Cultural

CULTURA E ANIMAÇÃO SOCIAL

  Um Pouco de Ciências Sociais para o Mobilizador da Comunidade, Associação e Bairros



1. A animação promove a Mudança Social:
Uma povoação não consiste num simples aglomerado de habitações. É uma entidade humana (social e cultural). (As habitações, que são produtos culturais da humanidade, pertencem a uma das seis dimensões da sociedade ou cultura, a dimensão tecnológica, como será explicado de seguida.)
A Animação Social (promover a participação e auto-ajuda na comunidade) mobiliza e organiza uma comunidade. Ou seja, altera leveçente a organização social de uma comunidade. Considera-se assim o animador como um agente de mudança social ou catalizador.
2. Um Animador Deve Ter Conhecimentos Acerca da Sociedade:
Pode ser nocivo tentar alterar algo que se desconhece. Por isso, cabe ao animador aprender acerca das ciências de antropologia e sociologia.  Um animador é um sociólogo aplicado, por isso tem de conhecer os aspectos mais importantes no âmbito da sociologia.
3. Tenha em Mente os Elementos Essenciais da Sociedade:
O aspecto mais importante neste ponto é a variedade de interligações entre as dimensões culturais que constituem a comunidade. Apesar dos cientistas sociais poderem discordar acerca da natureza exacta dessas interligações, todos concordam que a característica básica da sociedade (e por conseguinte das comunidades dentro dessa sociedade) é a interligação entre essas dimensões culturais.
Uma comunidade, à semelhança de outras instituições sociais, não é uma simples colecção de pessoas individuais; é um conjunto variável de relações, atitudes e comportamento dos seus membros.
4. A Cultura Aprende-se:
A cultura consiste de todos os aspectos já referidos, incluindo as acções e crenças que os seres humanos (enquanto animais físicos) aprendem, e que definem a sua humanidade. A cultura inclui comportamentos adquiridos, mas não as características que são determinadas geneticamente. A cultura é armazenada e transmitida através de símbolos; e nunca através de cromossomas.
Alguns aspectos culturais são adquiridos na infância (como por exemplo a fala), ao passo que outros em idade adulta. Quando o animador se dedica a promover a mudança social, está a promover a aprendizagem de novas ideias e comportamentos. Por conseguinte, são necessárias competências na área de educação de adultos.
A definição sociológica de cultura, que consiste na própria sociedade, não é o conceito corrente de cultura, o qual é geralmente associado à música e dança, ou apenas às artes (estes pertencem a apenas uma das seis dimensões da cultura: estética).
5. A Cultura Transcende os Indíviduos:
A cultura é super-orgânica. A compreensão deste conceito especial ("super-orgânico") é importante para entender em que consiste a comunidade.
Tal como o nível orgânico se baseia no inorgânico (as células vivas são constituidas por átomos sem vida, etc.), também o super-orgâncio se baseia no orgânico (a sociedade não é um ser humano mas é constituida por seres humnos)
Isto significa que durante a animação (mobilização e organização) de uma comunidade, o animador deve ser sempre capaz de separar o que está a acontecer na comunidade do que está a acontecer aos indivíduos que a constituem.
6. A Comunidade é um Sistema Super-Orgânico:
A comunidade pode ser considerada como sendo um organismo. Vive e funciona apesar dos movimentos migratórios dos seus membros e do nascimento e morte. Tal como uma célula viva, planta ou animal transcende os seus átomos, também uma instituição, um padrão de comportamentos, ou uma comunidade transcedem os seus indivíduos.
Uma crença, por exemplo, é sentida pelas pessoas, mas essa crença pode continuar a viver noutras pessoas muito após as primeiras terem desaparecido. O mesmo raciocínio pode-se aplicar a uma instituição como o casamento, uma organização como a força aérea, uma cidade como Maputo, um hábito como cumprimentar-se com um aperto de mãos, uma ferramenta como a enxada, ou um sistema como o marketing. Todos estes transcendem os seres humanos que o levam a cabo.
Uma sociedade é então um sistema -- não um sistema inorgânico como um motor, nem um sistema orgânico como uma árvore mas sim um sistema super-orgânico constutuido por ideias e comportamentos adquiridos pelos seres humanos.
Apesar de uma comunidade ser um sistema cultural (que transcende as pessoas individuais) não parta do pressuposto que uma comunidade é uma unidade harmoniosa. Porque não o é. É composta de variadas frações, lutas e conflitos, baseadas nas diferenças em género, religião, acesso à saúde, etnicidade, calsse, nível de educação, rendimentos, propriedade de capital, língua e muitos outros factores.
De modo a promover a participação da comunidade e o seu desenvolvimento, o animador terá a tarefa de juntar todas essas frações, encorajar a tolerância e o espírito de equipa e obter decisões consensuais. Não é uma tarefa fácil. As técnicas para levar a cabo essa tarefa podem ser encontradas nos outros documentos deste módulo; mas o conhecimento dos sistemas sociais e culturais (descrito neste documento) é o que fornece os antecedentes teóricos a partir dos quais o animador vai construir a sua competência profissional.
Para o animador promover a mudança social numa comunidade, é necessário saber como esse sistema funciona, e, por conseguinte, como reage às mudanças. Tal como um engenheiro (cientista físico aplicado) deve conhecer os mecanismos de um motor, também os facilitador da comunidade (cientista social aplicado) deve conhecer o modo de funcionamento de uma comunidade.
7. Dimensões da Cultura:
Toda a cultura (ou organização social) possui várias dimensões. Tal como as dimensões físicas de comprimento, largura, altura e tempo, também as dimensões culturais podem variar em tamanho mas, por definição, afectam todo o conjunto. Neste ponto é sugerido que o conjunto mais lógico é aquele constituido por seis dimensões sociais e culturais. Estas incluem todos os sistemas de valores e comportamentos adquiridos.
Estas dimensões da cultura incluem os aspectos:
  1. Tecnológico,
  2. Económico,
  3. Político,
  4. Institucional (social),
  5. Valores Estéticos, e
  6. Crenças e Conceitos.
Não se pode "observar" a dimensão de uma cultura ou sociedade da mesma maneira que se observa uma pessoa individual. Cada indivíduo apresenta cada uma das seis dimensões culturais.
Para ser socialmente consciente, o animador deve ser capaz de analisar todas as seis dimensões, as suas interligações, apesar de só conseguir observar os indivíduos e não estas dimensões.

Dimensões da Cultura
8. A Dimensão Tecnológica da Cultura:

A dimensão tecnológica de uma cultura consiste no seu capital, nas suas ferramentas e competências, e a sua interacção com o ambiente físico. No fundo, é a relação entre a humanidade e a natureza.

Tenha em atençaõ que não são as ferramentas físicas em si que constituem a dimensão tecnológica da cultura, mas as ideias e comportamentos adquiridos que permitem aos humanos inventá-las, usá-las e ensinar os outros acerca dessas ferramentas.
Quando um facilitador encoraja a comunidade a instalar uma latrina ou um poço, existe a introdução de uma nova tecnologia. Um poço (ou latrina) é uma ferramenta tal como um martelo ou um computador. O facilitador deve estar preparado para entender os efeitos nas outras dimensões da cultura causados pela introdução de uma mudança na dimensão tecnológica.
9. A Dimensão Económica da Cultura:

A dimensão económica da cultura consiste nas diversas maneiras e meios de produção e distribuição de produtos e serviços (riqueza) escassos e úteis, quer seja através de oferendas, obrigações, trocas, comércio ou distribuições feitas pelo Estado.

Não são os elementos físicos tais como dinheiro que constituem a dimensão económica da cultura, mas sim as várias ideias, valores e comportamentos das pessoas que dão o valor ao dinheiro (e outros bens) e que criaram os sistemas económicos em vigor. A riqueza não é apenas dinheiro, tal como a pobreza não é a ausência de dinheiro.
Quando uma comunidade decide fazer a distribuiçao de água em troca de uma taxa fixa a ser paga por todos os residentes, ou em troca de um pagamento por cada contentor usado, então está a realizar uma escolha entre dois sistemas diferentes de distribuição económica. O animador deve encorajar a comunidade a fazer as suas escolhas de modo consistente com os valores e atitudes. (Um bom animador não tentará impôr a sua noção do que considera ser o melhor sistema de distribuição; todos os membros da comunidade devem tomar uma decisão consensual.)
10. A Dimensão Política da Cultura:

A dimensão política da cultura consiste nas diferentes maneiras e meios de distribuir o poder e tomadas de decisão. A dimensão política não é equivalente a ideologia, que pertence à dimensão de valores. Inclui, mas não está limitada, os tipos de governos e sistemas de gestão. Também inclui os processos pelos quais as pessoas tomam decisões em pequenos grupos quando não têm um líder reconhecido como tal.

Um animador deve ser capaz de identificar os diferentes tipos de líders numa comunidade. Alguns possuem autoridade tradicional, outros possuem qualidades pessoais carismáticas.
Durante o trabalho com uma comunidade, o animador deve ser capaz de desenvolver o poder existente e o sistema de tomada de decisão para promover a unidade da comunidade e os consensos em grupo de modo a que benficiem toda a comunidade, e não apenas interesses individuais.
11. A Dimensão Institucional da Cultura:

A dimensão institucional ou social da cultura é consituida pelas diferentes maneiras das pessoas agirem, interagirem e reagirem e também das suas expectativas de como os outros agem e interagem. Inclui instituições tais como o casamento ou amizade, papeis sociais como mãe ou polícia, estatuto social ou classe, e outros padrões de comportamento humano.

Para que o animador ou mobilizador seja bem-sucedido, deve saber quais são as instituições locais, os diferentes papeis desempenhados pelos homens e mulheres, e quais são as principais formas de interacção social.
12. A Dimensão dos Valores Estéticos da Cultura:

A dimensão dos velores estéticos da cultura consiste na estrutura de ideias, por vezes paradoxais, inconsistentes ou contraditórias, acerca do que as pessoas classificam como bom ou mau, bonito ou feio, certo ou errado, e quais as justificações que evocam para explicar as suas acções.

Sempre que um animador introduz novas maneiras para realizar as actividades na comunidade, os valores vigentes devem ser considerados, ainda que possam ser contraditórios ou dispersos.
13. A Dimensão Conceptual e de Crenças da Cultura:

A dimensão conceptual e de crenças da cultura é outra estrutura de ideias, que por vezes também podem ser ocntraditórias, que as pessoas têm acerca da natureza do universo, do mundo que os rodeia, do seu papel a desempenhar no mundo, das causas e efeitos, da natureza do tempo, valores e comportamentos.

O animador deve estar consciente de quais são as crenças que predominam na comunidade.
Para ser um catalisador eficiente da mudança social, o animador deve realizar sugestões e promover acções que não ofendam as crenças predominantes, e que são consistentes (ou que pelo menos, se adequam) com os crenças existentes e com os conceitos de como o universo funciona.
14. Todas as Dimensões Coexistem em Cada Pedaço de Cultura:
O mais importante a lembrar é que em qualquer sociedade, comunidade, instituição e interacção entre indivíduos existe um pouco de cada uma das dimensões culturais. Todas estas são adquiridas após o nascimento.
Um recém-nascido assemelha-se a um animal, e ainda não a um ser humano, mas começa a apreender a cultura imediatamente (quando por exemplo se alimenta no peito da mãe) através da interacção com outros humanos, tornando-se assim também num humano. (Muitos autores afirmam que este processo humanizador começa no ventre materno.) Este processo de aprendizagem, e por conseguinte de transformação, continua durante toda a sua vida.
Se não está a aprender, é porque já não está vivo.
15. A Interligação Tem uma Aplicação Prática:
Para o animador social, e para todos aqueles que se dedicam a qualquer actividade de desenvolvimento, a parte mais importante é a variedade de interligações entre todas as dimensões culturais. Estas podem estar interligadas funcionalmente e em relações causa-efeito. A tecnologia (contrariamente às ideias populares), por exemplo, e as suas ferramentas e competências necessárias para o seu uso, fazem tanto parte da cultura como o sistema de crenças, as danças e o modo como a riqueza é distribuida.
Levar a cabo mudanças em qualquer uma das dimensões tem repercussões em cada uma das outras dimensões. Para implementar um novo método de obter água, por exemplo, é necessário criar novas instituições que mantenham o novo sistema de distribuição de água. Aprender novas maneiras para realizar tarefas requer a aprendizagem de novos valores e percepções. Ignorar essas interligações durante o processo de implementação de transferência de tecnologia pode ser um risco (podem-se obter resultados inesperados ou indesejados).
16. A Interligação Afecta a Mudança Social:
Para mudar algo numa dimensão cultural não requer apenas mudanças nas outras dimensões, como também provoca mudanças nas restantes dimensões.
É por isso que a avaliação do impacto social deve ser realizada para todos os projectos, independentemente da amplitude do seu campo de acção.
17. Conclusão; Importância da Cultura na Animação:
As interligações entre as dimensões culturais não são simples, nem fáceis de prever. O animador deve estar consciente da sua existência, e encorajar de modo contínuo a observação, análise, partilha de ideias, leitura e participação em seminários ou aulas.
Ao trabalhar com as comunidades, o animador deve aprender mais e mais acerca da sua cultura, e da dinâmica das suas dimensões culturais.
––»«––
No Mercado:

Figura3; No Mercado


Nenhum comentário:

Postar um comentário